Posts Tagged ‘JESUS’

OBAMA É QUE É O CARA!

10/06/2011

 

 

October 14, 2010|By the CNN Wire Staff 

Obama: Homossexualidade não é escolha

(CNN) – O presidente Obama disse hoje que acredita que a homossexualidade não é uma escolha, mas o resultado de pessoas nascidas com “uma certa composição.”

Seu comentário foi feito durante um evento informal – organizado pela BET Networks da Viacom, CMT e MTV – em que os estudantes fizeram-lhe perguntas.

Perguntado diretamente se pessoas escolhem ser gays ou transgêneros, ou se nascem assim, Obama disse que não era um especialista, e acrescentou em seguida: “Não acho que é uma escolha. Penso que pessoas nascem com uma certa composição”

“Somos todos crianças de Deus,” disse Obama. “Nós não determinamos a quem amar. Por isso acho que discriminação com base em orientação sexual é errado.”

É provável que a posição do Presidente tenha irritado alguns grupos cristãos conservadores que defendem que é pecado e que consequentemente implica em escolha. [Mas nada provam cientificamente…]

http://articles.cnn.com/2010-10-14/politics/obama.homosexuality_1_homosexuality-transgender-people-choice?_s=PM:POLITICS

 

O Gay Católico observa que apesar de declarar não ser um especialista, seguramente Barack Obama tem a melhor assessoria técnica e científica do planeta. Veja em links agregados à carta aberta que o Gay Católico dirigiu à Presidenta Dilma Roussef, a explanação que o Dr. Jerome Goldstein fez no 21º Congresso da Sociedade Européia de Neurobiologia que ocorreu entre 28 e 31 de maio último.

https://gaycatolico.wordpress.com/2011/06/08/presidenta-dilma-roussef/

PORQUE A BÍBLIA ME DIZ ASSIM

26/01/2011

ROXO!

20/10/2010

HOJE, DIA 20 DE OUTUBRO DE 2010, O MUNDO VESTE ROXO,

EXIBE ROXO, RESPIRA E EXALA ROXO!

A COR DO ESPÍRITO DA BANDEIRA DO ARCO-ÍRIS EM MEMÓRIA

DOS QUE DESISTIRAM DE VIVER EM MEIO AO ÓDIO.

EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DO ÓDIO.

FINALMENTE! UM BISPO CATÓLICO A CAMINHO DA VERDADE

02/07/2010

“Concordo e aceito um homem que viva com um homem”

Entrevista com D. Januário Torgal Ferreira, bispo das Forças Armadas e de Segurança de Portugal. Por Rosa Ramos, Publicada em 26 de junho de 2010 pelo

iOnline

 

(sobre a aprovação do casamento gay pelo Presidente Cavaco Silva) 

… “Para mim, independentemente do conteúdo – eu não concordo com a noção de casamento -, concordo e aceito um homem que viva com um homem e uma mulher que viva com uma mulher.

Isso não o choca?

É evidente que não. A atitude que tenho de ter é a respeitabilidade.”

(sobre as relações homossexuais)

Como encara o movimento de gays católicos?

São pessoas que põem problemas. Eu acho que o drama de cada pessoa deve ser entendido. Nós julgamos e jogamos com generalidades. Eu despertei para este problema já há muitos, muitos anos, quando conheci um casal que já não era jovem e que me confessou, amargurado, que o filho era homossexual. E eles sofriam e diziam: “Não discriminamos o nosso filho, achamos que não é um crime.” Nós podemos não aceitar nem entender que os nossos filhos sejam homossexuais, mas temos de os amar, não os podemos afugentar. E a Igreja só pode ter uma atitude: acolher, ouvir, tentar entender. Eu às vezes pergunto a colegas: “Você já alguma vez falou com um homossexual?” É que eu já e sabe o que é que vi? Uma pessoa que sofria loucamente, porque não era entendida, porque tinha uma orientação sexual que não é aceite socialmente. Alguém que se sentia só, escorraçado. Alguém que se escondia.

A Igreja acolhe os homossexuais, na verdade. Desde que não pratiquem a sua homossexualidade…

Com certeza que um casal homossexual não é um teórico, não é? E os afectos traduzem-se por essa prática, por essa fusão psíquico-afectiva da unidade misteriosa que é o ser humano.

A Igreja tem de entender isso?

Entender, sim. Sacralizar é que não – porque o amor, para a Igreja, é um sacramento, o matrimónio. Esta é uma matéria muito complexa, que tem de ser muito bem compreendida. E nenhuma instituição pode dizer se aceita ou não aceita. Cada caso é um caso.”

 

Enquanto tantos caminham em direção e sentido contrário, D. Januário já encontrou o sentido. E a direção da sua jornada converge para O CAMINHO. Ele ainda é jovem… vai conseguir alcançar a plenitude da caminhada.

JESUS, ALEGRIA DOS HOMENS!

28/06/2010

CHLOË AGNEW

DOUTRINA 4

28/06/2010

TERRA. UMA BOLA FECHADA E LIMITADA

O fato incontestável de que a Terra lotou significa que a procriação humana está adentrando um novo paradigma. A sexualidade enquanto procriação biológica passa a assumir, teologicamente, a retaguarda da outra mais importante e real perspectiva do Plano de Deus, que se encontra na Lei Moral Natural desde a sua fundação. A Procriação no Espírito.

Um compromisso que não nega, antes confirma mais uma vez as Sagradas Escrituras, porque eterna. Num salto qualitativo.

Mas a biologia humana não pode ser alterada em poucos séculos, o que quer dizer que a transformação do impulso natural à cópula demandará mais tempo que alguns séculos. E essa transformação só poderá ocorrer lentamente através de dezenas de gerações. E a cada geração um passo.

O passo hodierno é o início do processo, onde a heterossexualidade passa à função de manutenção da população de corpos e a homossexualidade, sem excluir os heterossexuais, adquire a função de procriar exclusivamente no espírito. A gama de variações da bissexualidade, que se poderia chamar de diversidade bissexual, assume a transição.

O conceito de diversidade bissexual é fácil de se apreender. Vai do absoluto bissexual – 50% de bissexualidade – tendendo para o zero percentual, onde começa a heterossexualidade de um lado e a homossexualidade do outro.

Do mesmo modo que a velha economia de Moisés, dos profetas e reis, cedeu lugar à nova economia de Jesus; o geocentrismo foi substituído pelo heliocentrismo e o criacionismo pelo evolucionismo. Assim também na ecologia, a emergente noção de pegada ecológica trará o entendimento de que a procriação biológica cede lugar à procriação no espírito, obviamente sem negar a primeira. Isso implicará um novo conceito de família, que o proprio Jesus já havia antecipado há dois mil anos. [Lucas 8, 19-21]

Portanto, a homossexualidade, uma especial reserva biológica instituída por Deus desde a criação do homem, só hoje aflora à superfície como um campo de flores germinadas de sementes adormecidas. Campos ralos nos seus primórdios medrou lentamente ao longo de milênios e hoje, neste seu momento próprio e de urgência ecológica surge à vista de todos, em todo o mundo.

A homofobia é o temor de que esse campo florido cresça ao ponto de não deixar espaço para a heterossexualidade. Um temor de quem tem pouca fé. Como poderia Deus permitir isso? Como poderiam esses campos floridos continuar a enfeitar os campos do Senhor não fossem as árvores frutíferas da heterossexualidade?

Porque as sementes daqueles campos são geradas nas flores dessas árvores, assim como as sementes dos heterossexuais são geradas nos seus frutos. E ambas as sementes germinam na Terra. A Árvore da Vida é assim pródiga. E essa não é a Árvore do Bem e do Mal, ao contrário.

A Árvore da Vida foi diligentemente cultivada por Jesus.


%d blogueiros gostam disto: