Posts Tagged ‘intra uterino’

OBAMA É QUE É O CARA!

10/06/2011

 

 

October 14, 2010|By the CNN Wire Staff 

Obama: Homossexualidade não é escolha

(CNN) – O presidente Obama disse hoje que acredita que a homossexualidade não é uma escolha, mas o resultado de pessoas nascidas com “uma certa composição.”

Seu comentário foi feito durante um evento informal – organizado pela BET Networks da Viacom, CMT e MTV – em que os estudantes fizeram-lhe perguntas.

Perguntado diretamente se pessoas escolhem ser gays ou transgêneros, ou se nascem assim, Obama disse que não era um especialista, e acrescentou em seguida: “Não acho que é uma escolha. Penso que pessoas nascem com uma certa composição”

“Somos todos crianças de Deus,” disse Obama. “Nós não determinamos a quem amar. Por isso acho que discriminação com base em orientação sexual é errado.”

É provável que a posição do Presidente tenha irritado alguns grupos cristãos conservadores que defendem que é pecado e que consequentemente implica em escolha. [Mas nada provam cientificamente…]

http://articles.cnn.com/2010-10-14/politics/obama.homosexuality_1_homosexuality-transgender-people-choice?_s=PM:POLITICS

 

O Gay Católico observa que apesar de declarar não ser um especialista, seguramente Barack Obama tem a melhor assessoria técnica e científica do planeta. Veja em links agregados à carta aberta que o Gay Católico dirigiu à Presidenta Dilma Roussef, a explanação que o Dr. Jerome Goldstein fez no 21º Congresso da Sociedade Européia de Neurobiologia que ocorreu entre 28 e 31 de maio último.

https://gaycatolico.wordpress.com/2011/06/08/presidenta-dilma-roussef/

PORQUE A BÍBLIA ME DIZ ASSIM

26/01/2011

HOLOCAUSTO!

06/12/2010

O cientista médico Dr. Drauzio Varella afirmou contradizendo sua própria argumentação de defesa aos homossexuais que: “Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam…”

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0412201036.htm

Somente com a ação das críticas pode se apurar uma falsidade, um embuste, um mentiroso objetivo contido no uso de crenças.”

 (Prof. J. Vasconcelos), em:

http://eleicoeshoje.wordpress.com/2010/12/01/pela-liberdade-de-crer/

 

Generalização falsa. O conhecimento científico não é uma ação crítica sujeita à crença. É um dado inquestionável.

O Mateus pode dizer que o céu é azul porque o vê da Terra e chama o que vê de céu. Mas um astronauta, que o vê da estação espacial nem sequer vê o céu como Mateus, mas o céu que vê não é azul. Porque o fenômeno da refração ali não existe. Então, de que cor é o céu? Nesse caso, a cor do céu depende da definição de céu.

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=65754&tid=5546746453701130345&na=3&nst=21&nid=65754-5546746453701130345-5547229796698825332

“O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu hoje (18/11) que devem ir a júri popular os pais da menina de 13 anos que morreu em 1993 por não receber uma transfusão de sangue. O casal Helio Vitoria da Silva e Ildelir Bonfim de Souza é Testemunha de Jeová, seita religiosa que se opõe a esse tipo de procedimento. Um médico, amigo da família, também foi denunciado.

Três dos cinco desembargadores da 9ª Câmara de Direito Criminal do TJSP votaram pela manutenção de sentença de primeira instância dada, em 2006, pela Vara do Júri de São Vicente. Dois magistrados se manifestaram a favor da absolvição do casal.

http://adav-advocaciaespecializada.blogspot.com/2010/11/testemunha-de-jeova-pais-que-impediram.html

“Em termos conclusivos, num regime de democracia pura, deve se atender aos princípios filosóficos de que a liberdade de crenças e de ideias é ampla em todos os aspectos na afirmação e na contra-afirmação.” (Prof. J. Vasconcelos)

A liberdade religiosa é constitucionalmente protegida assim como a liberdade de expressão. Afirmação que se levada ao absoluto, então, você pode ser um sacerdote do mal que crê que se deve sacrificar vítimas de expiação lançando crianças e adolescentes precipício abaixo, seus proprios filhos, imolando-os em altares incandescentes para atender aos desígnios de seu deus, e, tudo o que posso fazer é criticá-lo?

É óbvio que não. Quando a liberdade de crença fere a verdade científica deixa de ser crença e passa a ser preconceito.

A liberdade religiosa é legítima mas a liberdade de preconceito, não. A liberdade de preconceito é inconstitucional.

Quando o sacerdote, o padre, o pastor afirma que a homossexualidade é um delito, uma doença, absurdamente passível de reversão a um estado anterior que nunca existiu e portanto impossível como afirma a ciência, não é expressão de crença religiosa, é preconceito, é propaganda assassina enganosa. Então, a quem devo reclamar? Ao PROCON?

“O PAPA É GAY!” E DAÍ? QUAL É O PROBLEMA?

06/09/2010
 
 
 

Por Benjamin Bee

Hutton Gibson, pai quase centenário do celebrado ator e diretor cinematográfico de Hollywood Mel Gibson, afirmou recentemente em entrevista na mídia americana e divulgada por todo o mundo que o Papa Bento XVI e mais da metade do clero é gay. A afirmação não seria nada relevante se não partisse de um ancião católico conservador ortodoxo… e célebre, e ainda que se pretenda desacreditá-lo por sua avançada idade, seu discurso revela clareza de raciocínio e certa propriedade.

Mas o que importa se o Papa é ou não gay? Que diferença faz? Talvez a única diferença notável é que a afirmação revela que gays são pessoas competentes e capazes de assumir cargos da magnitude de um papado. São um bilhão e duzentos milhões de católicos sob sua batuta. Que líder isolado já teve ou tem rebanho desse tamanho? Sem mencionar a influência que possui sobre os demais cristãos perfazendo um séquito de dois bilhões de pessoas. Além disso é respeitado e admirado por quase a totalidade da população planetária. E é gay… segundo o secularmente vivido Hutton Gibson.

http://www.tmz.com/2010/08/09/mel-gibson-dad-hutton-gibson-pope-benedict-a-homosexual-political-cesspool-radio/ 



H. Gibson também afirmou que mais da metade do clero católico é composta por homossexuais. A própria base da Igreja católica reconhece essa afirmação como legítima se observada a intuição dos seus membros. E com razão, já que a própria metodologia de arregimentação do clero católico leva à essa conclusão.

 

 
O celibato, estratégia clerical para manter o patrimônio físico da Igreja sob o poder dos cardeais, e a prescrição 2357 no atual Catecismo Católico, prescrição continuada da interpretação literal das afirmações do líder judeu Moisés há cerca de 6 mil anos, que impede a formação de família pelos homossexuais, não deixou aos gays outra alternativa que o ingresso nos quadros profissionais da Igreja na função de padre, monges e outros consagrados. São estes por sua vez, os que fazem a ponte entre o povo leigo e a cúpula purpurada da Igreja.
Mais da metade dos celibatários religiosos da igreja são gays… segundo Gibson e o senso comum. Mas quanto é mais que a metade? Não seria absurdo pensar em 80 ou 85%. E qual o significado desse número?
Simples. O que seria da Igreja não fossem os gays? A resposta é…
– Não haveria padres o suficiente para dar conta de administrar o rebanho, ou o celibato clerical não seria viável; e não sendo possível o celibato clerical, outros interessados no patrimônio material da Igreja reivindicariam participação na capitalização dos recursos necessários para manter a gigantesca estrutura católica. A Igreja como se conhece hoje seria inviável. Não haveria Igreja desse tamanho.

A conclusão imediata dessa análise tão simples quanto lógica é que a Igreja existe como a conhecemos porque os gays a construíram e a mantiveram. Até hoje.

Nem todos os papas da Igreja foram gays. Mas muitos foram. Nem tampouco é difícil suspeitar da homossexualidade de tantos dos que foram fotografados após o advento da fotografia. Um gay conhece outro gay pelo olhar. Os retratados antes do aparecimento da fotografia não podem ser alvo dessa “especulação” porque a mão dos pintores altera o olhar e a realidade como não o faz a fotografia.

O clero é gay, sim. Hutton Gibson tem razão. Esconder ou ignorar essa realidade é embaçar a verdade.

A crise vivida hoje pela Igreja Católica não é da Igreja propriamente dita, é da alta hierarquia e principalmente do poder leigo que a controla. Seu poder econômico chegou ao princípio do fim.

Sabendo disso, as denominações mais poderosas, controladas por heterossexuais, temem perder o patrimônio que administram, e hoje o que fazem nada mais é que lutar para que este patrimônio não se pulverize nas mãos das famílias de clérigos que virão com o fim do celibato. O celibato clerical conhece nestes dias seu canto do cisne porque os homossexuais soltam suas cadeias em velocidade exponencial. Já não mais precisam recolher-se às sacristias, mosteiros e púlpitos. E é por isso que o poder vigente se opõe aos avanços político-jurídico-cultural dos homossexuais. Porque querem mantê-los na escravidão moralista dentro das igrejas. É o poder sem saída. Sem gays só será possível manter o rebanho com o fim do celibato, e com o fim deste a arrecadação não será suficiente para manter no poder os que dele desfrutaram até hoje.

Os ataques à libertação gay se acirram e os católicos nem se opuseram aliar-se às confissões não católicas, porque também a estas interessa a escravatura gay. Não há celibato nessas confissões, e quando o celibato católico cair também elas estarão ameaçadas, com alto risco de desaparecerem dada a tradição da Igreja Católica. Então, aos protestantes, evangélicos e outros, libertar os gays será o mesmo que derrubar celibato católico e aprofundar a competição entre eles, católicos e não católicos, com desvantagem para estes últimos.

Nessa guerra de ganâncias quem vem pagando a conta ainda são os não heterossexuais.

Mas não por muito tempo.

O AMOR É O ESPÍRITO DE DEUS PRESENTE E VISÍVEL EM CADA UM DE NÓS E NO OUTRO.

29/05/2010
 
GAY CATÓLICO
 
Gay, ou GLBTTTI, é um ser humano com identidade sexual diversa da heterossexual. Esta, a identidade sexual humana dominante e hegemônica. Enquanto espécie é a única diferença.
 
Católico é o humano pertencente à religião cristã universalizada com sede na Santa Sé, o Vaticano. 

Pertinência religiosa é a filiação à uma doutrina de fé no Transcendente Absoluto, Deus.

Jesus de Nazareth, o Cristo é o Filho Unigênito de Deus.

BREVE RETROSPECTO DO BLOG GAY CATÓLICO

No Prólogo tentamos elaborar um panorama da situação dos gays católicos. Triplamente discriminados: pelos gays por serem católicos, pelos católicos por serem gays e pela sociedade heteronormativa. [02]
Contamos apenas um caso em três episódios de como um gay se torna católico a despeito da opressão gerada pela discriminação no meio. [03] , [04] , [05]
Gay nasce gay, mas escolhe ser católico. E escolhe ser católico porque, à exceção da discriminação sofrida por sua orientação sexual, é com a doutrina católica que se identifica, e nenhuma outra responde tão integralmente às suas exigências. A sua “desobediência” será analisada a posteriori. [# in comentários]
Ele entende que há um percurso para – sem perder nada – viver plenamente a sua afetividade e sexualidade. A importância do primeiro encontro, a corte, o namoro, o noivado, e finalmente o casamento que celebra na noite de núpcias. Cada um desses passos tem seu significado sem o qual não compreende a relação com o outro. [09] , [10] , [11] , [12]
Sua religiosidade é isenta de culpa porque acredita em Jesus, quando em Mateus 19, 11-12, revela só a quem é capaz de entender, que desde o ventre materno assim foi formado e que portanto está no Plano de Deus. [13]
Unidos por Deus no casamento, o mistério do Amor  – Deus –  revela-Se na fusão dos cônjuges, na experiência única, real e concreta da ininterrupta Presença do Amor entre ambos, identificando-os um no outro ao ponto de cada um ser dois e os dois… Um.  [14]
E ainda sem deixar de ser, cada um, ele mesmo. É o encontro com o Sagrado que conduz à família homoparental, à educação da prole segundo determinação divina, o envelhecimento na companhia dos seus e finalmente a dignidade da passagem para a Glória do Senhor.  [17]
 

 

FLASHBACK

30/04/2010

FLASHBACK

 

No PRÓLOGO  do nosso blog apresentamos links para dois trabalhos científicos que remetem à evidência de que a homossexualidade é genética e, ou, resultante de fatores intra uterino.

Jesus Cristo, Nosso Senhor, já afirmava isso. Nasce-se gay. PALAVRA DO SENHOR.

Quem documenta essa verdade, essa afirmação, é o Apóstolo Mateus em

MATEUS 19, 11-12

¹¹Ele acrescentou: “Nem todos são capazes de compreender essa palavra, mas só aqueles a quem é concedido. ¹²Com efeito, há eunucos que nasceram assim, desde o ventre materno. E há eunucos que foram feitos eunucos pelos homens. E há eunucos que se fizeram eunucos por causa do Reino dos Céus. Quem tiver capacidade para compreender, compreenda!”

Se você leitor, me permitir, vou colocar aqui meu raciocínio. Simples, sem dúvida, e sem a menor pesquisa ou perspectiva histórica. Puro raciocínio de lógica.

2. “Eunucos feitos pelo homem”. CASTRADOS. Que não se recusavam ao sexo mas que não podiam procriar. ESTERILIZADOS INTENCIONALMENTE.

3. “Eunucos por causa do Reino dos Céus”. NÃO CASTRADOS. Que se recusavam ao sexo porque poderiam procriar e seus filhos poderiam ser um impedimento para dedicar-se a Deus. ESTERILIZADOS INTENCIONALMENTE.

1. “Eunucos desde o ventre materno”. NÃO CASTRADOS. Que não se recusavam ao sexo mas que não podiam procriar. ESTERILIZADOS CONGÊNITOS.

Ora, com efeito, os inférteis e os homossexuais estão neste último conjunto.

Por que haveria Jesus de dizer: “Nem todos são capazes de compreender essa palavra, mas só aqueles a quem é concedido”? E ainda reafirma concluindo: “Quem tiver capacidade para compreender, compreenda!”.

Se Ele só estivesse referindo-se aos adultos estéreis, aqueles que não tinham filhos do casamento, não seria necessário fazer a ressalva de que poucos compreenderiam Suas palavras.

Ou seria? Já que a infertilidade era sempre num primeiro momento atribuída à mulher.

Não. Porque quando a mulher era estéril, era dado ao homem o direito de ter outra mulher. É o caso de Abraão e Sara. Significa então, que era do conhecimento de todos que existiam homens estéreis, e assim não haveria necessidade de ressalvas.

Logo, Ele estava referindo-se APENAS aos que não se recusavam ao sexo, sem com isso passar a idéia de que se referia aos machos adultos estéreis. Quer dizer, Ele estava referindo-se somente aos nascidos sexualmente ativos que recusavam-se ao sexo com mulheres. Os homossexuais.

Conclui-se daí que Ele afirmou, em MATEUS 19, vers 11, que os homossexuais nascem homossexuais.

E é ainda de se reparar que Ele coloca os homossexuais no início da lista de eunucos.


%d blogueiros gostam disto: