Posts Tagged ‘gay nasce gay’

TI SPOSERÒ – E VIVA ITALIA!

07/05/2012

QUERO SABER COMO É…

29/03/2012

Legendado em português. Ative a legenda se não carregar automaticamente.

 

XEQUE MATE

27/03/2012

A homossexualidade não pode influenciar o outro porque é inata.

– Não! É escolha!

Na hipótese de escolha:
1. Escolhe-se o melhor, então o melhor seria a homossexualidade implicando o fim da espécie. Portanto nesse caso não é escolha.
2. Na hipótese da homossexualidade ser melhor apenas para alguns e sendo a heterossexualidade natural nos héteros, então, ou é também natural nos homos ou é:
perversão, ou vício, ou doença, ou trauma, ou defeito genético, ou possessão demoníca.
O que é, então?

É perversão

– Não, porque milhões de pessoas em todo o mundo, em todos esses milênios não suportariam viver no opróbrio por uma tara.

É vício

– Não, porque os abstinentes são a prova de que a total abstinência não é capaz de provocar desejo pelo sexo oposto.

É doença

– Não, porque não há registros de medicina curativa também desde sempre, desde a origem da humanidade. E a OMS retirou seu status de doença porque não se enquadra na definição de doença.

É trauma

– Não, porque não há registros significativos de superação do trauma. E mesmo as tentativas de forjar tais registros fracassaram.

É defeito genético

– Não, porque não ameaça a sobrevivência do homossexual, nem a sua auto suficiência, nem o impede de alcançar a felicidade. Assim, do mesmo modo que não é doença, não é deficiência.

É possessão demoníaca

– Não, porque não há jejum, penitência e oração que desperte o desejo pelo sexo oposto.

Conclui-se que não é perversão, não é vício. não é doença, não é trauma, não é defeito genético, não é possessão demoníaca; consequentemente não é escolha nem apenas para alguns.
Se é assim, então… o que poderia ser?
É característica da natureza de certos indivíduos. É ontológico. É pré natal e pré determinado. É perfeitamente natural.

OBAMA É QUE É O CARA!

10/06/2011

 

 

October 14, 2010|By the CNN Wire Staff 

Obama: Homossexualidade não é escolha

(CNN) – O presidente Obama disse hoje que acredita que a homossexualidade não é uma escolha, mas o resultado de pessoas nascidas com “uma certa composição.”

Seu comentário foi feito durante um evento informal – organizado pela BET Networks da Viacom, CMT e MTV – em que os estudantes fizeram-lhe perguntas.

Perguntado diretamente se pessoas escolhem ser gays ou transgêneros, ou se nascem assim, Obama disse que não era um especialista, e acrescentou em seguida: “Não acho que é uma escolha. Penso que pessoas nascem com uma certa composição”

“Somos todos crianças de Deus,” disse Obama. “Nós não determinamos a quem amar. Por isso acho que discriminação com base em orientação sexual é errado.”

É provável que a posição do Presidente tenha irritado alguns grupos cristãos conservadores que defendem que é pecado e que consequentemente implica em escolha. [Mas nada provam cientificamente…]

http://articles.cnn.com/2010-10-14/politics/obama.homosexuality_1_homosexuality-transgender-people-choice?_s=PM:POLITICS

 

O Gay Católico observa que apesar de declarar não ser um especialista, seguramente Barack Obama tem a melhor assessoria técnica e científica do planeta. Veja em links agregados à carta aberta que o Gay Católico dirigiu à Presidenta Dilma Roussef, a explanação que o Dr. Jerome Goldstein fez no 21º Congresso da Sociedade Européia de Neurobiologia que ocorreu entre 28 e 31 de maio último.

https://gaycatolico.wordpress.com/2011/06/08/presidenta-dilma-roussef/

PRESIDENTA DILMA ROUSSEF

08/06/2011

 

Exma Sra.

Dilma Roussef, Presidenta da República Federativa do Brasil.

 

Entre 28 e 31 de maio último aconteceu em Lisboa o 21º Congresso da Sociedade Européia de Neurobiologia (ENS). Nele o Dr. Jerome Goldstein, diretor do San Francisco Clinical Research Center (EUA) enfatizou que “A orientação sexual NÃO É UMA QUESTÃO DE ESCOLHA, é principalmente questão neurobiológica pré natal. Existem vínculos inegáveis. Nós queremos torná-los visíveis”.

 

http://www.medicalnewstoday.com/releases/226963.php

 

Ele mencionou a pesquisa sueca da neurocientista Ivanka Savic, do Instituto Karolinska de Estocolmo e os vários estudos com gêmeos, que aliás comentei aqui  há algum tempo; tanto o trabalho sueco como o anglo-sueco da Queen Mary University of London, ambos de 2008.

 

http://www.pnas.org/content/105/27/9403.abstract?sid=319b7033-3b4e-48bc-a3db-e8dba26b1260 

http://www.qmul.ac.uk/qmul/news/newsrelease.php?news_id=1075 

 

 
E veja V. Excia que ele acrescenta: “Temos de continuar a apresentar dados que mostram as diferenças ou semelhanças entre os cérebros dos homossexuais, heterossexuais, bissexuais e pessoas trans sexo. É evidente que a base da orientação sexual está no cérebro e suas diferenças na estrutura e função cerebral, e compete à área da Neurologia”

 

O Dr. Goldstein acrescentou mais… “A neurociência tem muito a oferecer para a compreensão das origens de todas as variações da orientação sexual. A neurobiologia da orientação sexual e do cérebro gay, combinados com outros estudos hormonais, genéticos e estruturais, tem conseqüências de longo alcance para além da orientação sexual. Variadas abordagens já estão surgindo como resultado do reconhecimento das diferenças de orientação sexual e do advento da medicina de gênero específico.”

 

Repare Sra. Presidenta que ele fala em “medicina de gênero específico”. É fantástico e revolucionário.

 

É a última, mais avançada, abalizada e confiável assertiva de que a homossexualidade NÃO É OPÇÃO, é inata. Incontestável.

 

Não é doença, não é opção, é CARACTERÍSTICA INATA.

 

Na certeza de que V. Excia considerará a ciência como parâmetro para as afirmações presidenciais.

 

E pela soberania do Estado Laico.

 

 

Orações para Bobby – completo

28/03/2011
AS MÃES SABEM TUDO SOBRE SEUS FILHOS DESDE A CONCEPÇÃO
 

PORQUE A BÍBLIA ME DIZ ASSIM

26/01/2011

HOLOCAUSTO!

06/12/2010

O cientista médico Dr. Drauzio Varella afirmou contradizendo sua própria argumentação de defesa aos homossexuais que: “Os pastores de almas que se opõem ao casamento entre homossexuais têm o direito de recomendar a seus rebanhos que não o façam…”

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq0412201036.htm

Somente com a ação das críticas pode se apurar uma falsidade, um embuste, um mentiroso objetivo contido no uso de crenças.”

 (Prof. J. Vasconcelos), em:

http://eleicoeshoje.wordpress.com/2010/12/01/pela-liberdade-de-crer/

 

Generalização falsa. O conhecimento científico não é uma ação crítica sujeita à crença. É um dado inquestionável.

O Mateus pode dizer que o céu é azul porque o vê da Terra e chama o que vê de céu. Mas um astronauta, que o vê da estação espacial nem sequer vê o céu como Mateus, mas o céu que vê não é azul. Porque o fenômeno da refração ali não existe. Então, de que cor é o céu? Nesse caso, a cor do céu depende da definição de céu.

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=65754&tid=5546746453701130345&na=3&nst=21&nid=65754-5546746453701130345-5547229796698825332

“O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu hoje (18/11) que devem ir a júri popular os pais da menina de 13 anos que morreu em 1993 por não receber uma transfusão de sangue. O casal Helio Vitoria da Silva e Ildelir Bonfim de Souza é Testemunha de Jeová, seita religiosa que se opõe a esse tipo de procedimento. Um médico, amigo da família, também foi denunciado.

Três dos cinco desembargadores da 9ª Câmara de Direito Criminal do TJSP votaram pela manutenção de sentença de primeira instância dada, em 2006, pela Vara do Júri de São Vicente. Dois magistrados se manifestaram a favor da absolvição do casal.

http://adav-advocaciaespecializada.blogspot.com/2010/11/testemunha-de-jeova-pais-que-impediram.html

“Em termos conclusivos, num regime de democracia pura, deve se atender aos princípios filosóficos de que a liberdade de crenças e de ideias é ampla em todos os aspectos na afirmação e na contra-afirmação.” (Prof. J. Vasconcelos)

A liberdade religiosa é constitucionalmente protegida assim como a liberdade de expressão. Afirmação que se levada ao absoluto, então, você pode ser um sacerdote do mal que crê que se deve sacrificar vítimas de expiação lançando crianças e adolescentes precipício abaixo, seus proprios filhos, imolando-os em altares incandescentes para atender aos desígnios de seu deus, e, tudo o que posso fazer é criticá-lo?

É óbvio que não. Quando a liberdade de crença fere a verdade científica deixa de ser crença e passa a ser preconceito.

A liberdade religiosa é legítima mas a liberdade de preconceito, não. A liberdade de preconceito é inconstitucional.

Quando o sacerdote, o padre, o pastor afirma que a homossexualidade é um delito, uma doença, absurdamente passível de reversão a um estado anterior que nunca existiu e portanto impossível como afirma a ciência, não é expressão de crença religiosa, é preconceito, é propaganda assassina enganosa. Então, a quem devo reclamar? Ao PROCON?

A GRANDE VIRADA COM GOL DE BICICLETA DA INGLATERRA!

05/11/2010

 
 

Um juiz inglês impediu um casal – Owen e Eunice Johns – de adotar uma criança porque declaram-se contra a homossexualidade, o que poderia trazer danos à criança adotada no caso desta ser homossexual.

A decisão levanta realmente a gravíssima questão da adoção por casais homofóbicos, estes em geral pertencentes à congregações religiosas, porque estas pregam a “cura”, a imposição de terapias de reversão.

 

Os recentes suicídios alardeados pela imprensa americana, motivados por bullying contra adolescentes gays, têm como causa na sua origem o moralismo religioso nas igrejas, porque estas é que geraram e continuam incrementando a cultura da homofobia.

Assim, é de se perguntar sem dúvidas, se casais adeptos de religões não inclusivas estão aptos à adoção.

O jogo virou. O Vaticano não terá mais como manter a prescrição 2357 do Catecismo Católico sob pena de que os casais católicos que pleiteam adoção não estejam aptos a realizar a felicidade dos adotados, antes poderão induzí-los ao suicídio.

Vejam a matéria em inglês:

 http://www.dailymail.co.uk/news/article-1325311/Gay-rights-laws-danger-freedoms-Bishops-speak-homosexuality.html

 

 

“O PAPA É GAY!” E DAÍ? QUAL É O PROBLEMA?

06/09/2010
 
 
 

Por Benjamin Bee

Hutton Gibson, pai quase centenário do celebrado ator e diretor cinematográfico de Hollywood Mel Gibson, afirmou recentemente em entrevista na mídia americana e divulgada por todo o mundo que o Papa Bento XVI e mais da metade do clero é gay. A afirmação não seria nada relevante se não partisse de um ancião católico conservador ortodoxo… e célebre, e ainda que se pretenda desacreditá-lo por sua avançada idade, seu discurso revela clareza de raciocínio e certa propriedade.

Mas o que importa se o Papa é ou não gay? Que diferença faz? Talvez a única diferença notável é que a afirmação revela que gays são pessoas competentes e capazes de assumir cargos da magnitude de um papado. São um bilhão e duzentos milhões de católicos sob sua batuta. Que líder isolado já teve ou tem rebanho desse tamanho? Sem mencionar a influência que possui sobre os demais cristãos perfazendo um séquito de dois bilhões de pessoas. Além disso é respeitado e admirado por quase a totalidade da população planetária. E é gay… segundo o secularmente vivido Hutton Gibson.

http://www.tmz.com/2010/08/09/mel-gibson-dad-hutton-gibson-pope-benedict-a-homosexual-political-cesspool-radio/ 



H. Gibson também afirmou que mais da metade do clero católico é composta por homossexuais. A própria base da Igreja católica reconhece essa afirmação como legítima se observada a intuição dos seus membros. E com razão, já que a própria metodologia de arregimentação do clero católico leva à essa conclusão.

 

 
O celibato, estratégia clerical para manter o patrimônio físico da Igreja sob o poder dos cardeais, e a prescrição 2357 no atual Catecismo Católico, prescrição continuada da interpretação literal das afirmações do líder judeu Moisés há cerca de 6 mil anos, que impede a formação de família pelos homossexuais, não deixou aos gays outra alternativa que o ingresso nos quadros profissionais da Igreja na função de padre, monges e outros consagrados. São estes por sua vez, os que fazem a ponte entre o povo leigo e a cúpula purpurada da Igreja.
Mais da metade dos celibatários religiosos da igreja são gays… segundo Gibson e o senso comum. Mas quanto é mais que a metade? Não seria absurdo pensar em 80 ou 85%. E qual o significado desse número?
Simples. O que seria da Igreja não fossem os gays? A resposta é…
– Não haveria padres o suficiente para dar conta de administrar o rebanho, ou o celibato clerical não seria viável; e não sendo possível o celibato clerical, outros interessados no patrimônio material da Igreja reivindicariam participação na capitalização dos recursos necessários para manter a gigantesca estrutura católica. A Igreja como se conhece hoje seria inviável. Não haveria Igreja desse tamanho.

A conclusão imediata dessa análise tão simples quanto lógica é que a Igreja existe como a conhecemos porque os gays a construíram e a mantiveram. Até hoje.

Nem todos os papas da Igreja foram gays. Mas muitos foram. Nem tampouco é difícil suspeitar da homossexualidade de tantos dos que foram fotografados após o advento da fotografia. Um gay conhece outro gay pelo olhar. Os retratados antes do aparecimento da fotografia não podem ser alvo dessa “especulação” porque a mão dos pintores altera o olhar e a realidade como não o faz a fotografia.

O clero é gay, sim. Hutton Gibson tem razão. Esconder ou ignorar essa realidade é embaçar a verdade.

A crise vivida hoje pela Igreja Católica não é da Igreja propriamente dita, é da alta hierarquia e principalmente do poder leigo que a controla. Seu poder econômico chegou ao princípio do fim.

Sabendo disso, as denominações mais poderosas, controladas por heterossexuais, temem perder o patrimônio que administram, e hoje o que fazem nada mais é que lutar para que este patrimônio não se pulverize nas mãos das famílias de clérigos que virão com o fim do celibato. O celibato clerical conhece nestes dias seu canto do cisne porque os homossexuais soltam suas cadeias em velocidade exponencial. Já não mais precisam recolher-se às sacristias, mosteiros e púlpitos. E é por isso que o poder vigente se opõe aos avanços político-jurídico-cultural dos homossexuais. Porque querem mantê-los na escravidão moralista dentro das igrejas. É o poder sem saída. Sem gays só será possível manter o rebanho com o fim do celibato, e com o fim deste a arrecadação não será suficiente para manter no poder os que dele desfrutaram até hoje.

Os ataques à libertação gay se acirram e os católicos nem se opuseram aliar-se às confissões não católicas, porque também a estas interessa a escravatura gay. Não há celibato nessas confissões, e quando o celibato católico cair também elas estarão ameaçadas, com alto risco de desaparecerem dada a tradição da Igreja Católica. Então, aos protestantes, evangélicos e outros, libertar os gays será o mesmo que derrubar celibato católico e aprofundar a competição entre eles, católicos e não católicos, com desvantagem para estes últimos.

Nessa guerra de ganâncias quem vem pagando a conta ainda são os não heterossexuais.

Mas não por muito tempo.


%d blogueiros gostam disto: