MAPAS DOS NOSSOS CONFLITOS

O Gay Católico na pretensão de ser um dos espelhos de um corpo específico de católicos, rejeitado pela Igreja, acredita que é possível mapear os conflitos e pressões de que é alvo.

MAPA 1

1. A Igreja entende que a homossexualidade é sim uma doença, “uma perturbação intrinsecamente má”, “uma desordem moral e psíquica”, e isto gera o primeiro de todos os conflitos, já que os gays reconhecem a sua congenitalidade, i. e, sentem-se gays de nascença. Os sinais são vísiveis desde a primeira infância. Por isso, desde então são discriminados pelas próprias mãos que os batizaram.

2. Decorre do primeiro, porque sendo a homossexualidade inaceitável do ponto de vista clerical, sua efetiva expressão não só é reprimida pela Igreja que os obriga à rejeição da própria sexualidade através da abstinência sexual, como também lhes é imposta a “regressão à heterossexualidade” justificada pela “lei natural”, lei essa que por sua vez tem, a rigor, origem na Tradição Humana da Igreja, e que os gays consideram impossível já que não há um estado heterossexual anterior para o qual se possa reverter.

3. Não sendo admitidos à comunhão plena com a Igreja, não encontram nem espaço e nem reflexo para o seu desenvolvimento espiritual e cultural católico, o que acaba por afastá-los quando não fisicamente desse contexto, pelo menos da sua plenitude moral, e mormente da plenitude espiritual cujo significado para o gay católico é mais que imprescindível, é vital. Existe uma Espiritualidade Gay Católica que não emerge, permanecendo sufocada e impedida de se apresentar ao outro, e que seria de enorme valia para todo o corpo católico sem restrições.

4. Os que se afastam fisicamente não tem outra alternativa que inserir-se no mundo gay de espiritualidade controversa, onde se deparam com a permissividade e relatividade da cultura hodierna. Com isso assumindo atitudes que se opõem ao que foram projetados desde o nascimento como seres espirituais e espiritualizados.

5. Segue naturalmente que discriminados, sem a cultura e religiosidade que lhes correspondem, sua sexualidade é reduzida ao encontro possível e limitado dos seus corpos com o corpo do outro, sem alcance para a sexualidade espiritualizada, tornando-a insatisfatória, insuficiente e obstruída, vedando o alcance da felicidade, da alegria e da paz espiritual à plenitude. O meio hostil, quer religioso, quer mundano, sequestra o gay católico da liberdade e da verdade. Refém apartado compulsoriamente do Absoluto do qual faz parte, ao qual pertence e que representa o maior significado de sua existência enquanto pessoa humana.

6. O universo gay do mundo por sua vez, discrimina o gay católico, porque este não se vê fora da Igreja que o condena, e aquele não aceita essa compulsão que considera, à maneira do Magistério Católico, como “intrinsecamente desordenada”, i e, uma doença mental que deve ser curada e da única forma possível que seria deixar de ser católico.

7. Duplamente discriminados: pelos católicos porque são gays, e pelos gays porque são católicos, formam um corpo social pulverizado, marginalizado como nenhum outro e distantes entre si, perdidos da unidade necessária para refletir e resolver seus conflitos, e dar prosseguimento à sua existência como indivíduos e seres sociais.

Obs: Nos próximos mapas tentaremos abordar a questão da associação de dois gays católicos: o encontro, a formação do par, a situação legal, a situação religiosa do casal formado e a sexualidade dos cônjuges.

Também, o casamento gay, a formação da familia homoparental católica, a educação de sua prole, a velhice e a finalização da sua existência.

Um dos mapas será dedicado à vida profissional e às vocações sacerdotais.

E ainda um mapa específico para a diversidade gay católica, quer dizer: cada membro da sigla GLBTTT, inclusive os não gay que reconhecem a naturalidade da existência e defendem a sua inserção plena no catolicismo.

Aos mapas seguir-se-ão as discussões – posts e comentários – em torno de cada conflito, não necessariamente na ordem apresentada e não necessariamente sem solução de continuidade, podendo ser intercaladas com os eventos circunstanciais importantes que se apresentarem nos comentários ou na sociedade, segundo a sua urgência.

Com tudo isso o Gay Católico espera estabelecer as bases para a elucidação e consciência do mundo e da Igreja, daquela que é hoje a realidade mais desconhecida que obscurece a civilização.

Contamos com você.

Tags: , ,

2 Respostas to “MAPAS DOS NOSSOS CONFLITOS”

  1. Rumos Novos - GHC Says:

    Pretendemos contactar o responsável pelo Blog, mas não vimos qualquer tipo de contacto.

    Assim pedimos que entre em contacto connosco e que este comentário seja depois eliminado, porque não se enquadra.

    Obrigado.
    Rumos Novos – Grupo Homossexual Católico (PORTUGAL)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: